28 de junho de 2018

Na semana passada eu comentei um pouco sobre as novas produções originais de comédia romântica que a Netflix anda fazendo, né? E realmente as coisas estão saindo a todo vapor! Aproveitando esse clima de pré-férias se aproximando, pensei em falar um pouco mais dessas produções bem sessão da tarde pra gente assistir quando só quer relaxar e não pensar em muita coisa. E, bom, como começar sem citar o pilar dessa nova onda de novidades no gênero? Sem mais delongas, pega a pipoca e vem direto pra essa barraca cheia de beijos!

(Reprodução Netflix)

The Kissing Booth (A Barraca do Beijo, na tradução) foi o pontapé da Netflix na categoria de filmes de comédia românticos, e que pontapé! Apesar de dividir opiniões, o filme estreiou em 11 de Maio de 2018 e ganhou sucesso quase imediato nas redes sociais.

O plot é um típico clichê, mas provou que deu certo pro público alvo. No filme, conhecemos a história de Elle Evans (Joey King) e Lee Flynn (Joel Courtney), dois melhores amigos de infância que nasceram no mesmo dia e mesmo hospital, e cujas mães já eram melhores amigas antes do nascimento deles. Ou seja, tradição de família, né?

Elle e Lee, a dupla inseparável

(Reprodução Netflix)

Elle e Lee se tornaram uma dupla inseparável logo que vieram ao mundo. Sempre fazendo tudo juntos, entre brincar e estudar, dançar (atividade favorita dos dois) e passar pelas mudanças da vida. E claro que tanta amizade só podia dar em algo, né? Isso mesmo, uma lista de regras para boa convivência!

A lista inventada pelos amigos foi uma maneira de sempre manter a amizade verdadeira e especial, na qual eles tem regras para todo tipo de situação e também formas de garantir que um e outro sempre se perdoarão e cuidarão do outro se algo de errado acontecer. Entre as várias regras da lista, uma se destaca: A regra número 9, que especifica que em hipótese alguma parentes são possíveis namorados. Mais especificamente, Noah (Jacob Elordi), o irmão mais velho de Lee, com quem existe uma rivalidade gigante.

O tal do galã Noah

(Reprodução Netflix)

Até aqui você já deve ter imaginado exatamente o que vai acontecer, não é? Como todo clichê do “irmão mais velho e gato do melhor amigo”, é claro que Elle é secretamente afim de Noah, mas nada além de uma leve crush. O problema é que Noah vê Elle como uma amiga da família a quem ele deve proteger, só que a garota é adolescente e está crescendo… E quando começa a chamar atenção de outros caras da escola, Noah meio que não curte tanto isso.

A partir daí, as farpas começam. Escondendo do melhor amigo sua queda pelo irmão, Elle e Noah vivem tendo discussões sobre o que ela pode fazer e o que ele quer que ela não faça, por achar que tem alguma autoridade entre ela. E no meio disso tudo, Lee e Elle precisam surgir com um meio de arrecadar dinheiro no evento da escola, e é claro que a ideia genial surge: Uma barraca do beijo!

Para garantir a adesão, Elle inventa que a barraca do beijo contará com alunos populares da escola, como o trio de meninas “OMG” (as típicas patricinhas) e, claro, Noah Flynn, o fortão desejado por todas. Se ele sabe que fará parte? Sim, mas não concorda nem um pouco.

Elle acaba conquistando a amizade das meninas com essas mentiras e o filme avança. No dia do evento, a barraca está lá e é um tremendo sucesso! Até Lee tira proveito e acaba encontrando Rachel, uma garota que passa a ser sua namorada. Mas e quanto a Elle..? Bem, digamos que algo acontece e uma das regras não é quebrada. Ela é totalmente pisoteada.

Eita xesus!

(Reprodução Netflix)

Curiosos para saber do resto? Já aviso que a partir daí vimos um tremendo plot twist entre Noah e Elle, com direito a brigas e muitos entendimentos, além da ameaça à amizade com Lee e a dificuldade em saber como diabos Elle vai sair da situação onde se meteu.

Se você ainda não viu A Barraca do Beijo, corre já pra Netflix e dá o play! O filme é super rápido e leve, cheio de clichês e absursos (Noah é um monstro de whey no colegial, qual é!), mas que acaba sendo uma opção divertida para um final de semana, porque afinal, quem é que não adora aquele filme “ruim” de coração, né? E A Barra do Beijo veio aí para ser outro queridinho dos guilty pleasures.

Até mais! ♥

postado por Amanda

Compartilhe com os amigos: 0 comentários

Leia Também

  • Defensores
  • Mais uma série de desventuras… em série!
  • O MUNDO FABULOSO DE QUEER EYE
  • 22 de junho de 2018

    Eu sou uma grande apaixonada por filmes dramáticos e intensos! Amo produções que me fazem pensar e quebrar a cabeça para entender significados, que me fazem refletir na vida ou no mundo ao redor, e me deixam com aquela sensação agridoce após o fim. Mas particularmente há dias que a gente só quer tomar um banho longo, fazer uma pipoquinha e assistir um filme leve pra descansar a cabeça de tanto pensamento e correria, né? E nessas horas não há nada melhor do que os famosos chick-flicks e as rom-com, ou melhor, as comédias românticas que todos amamos no fim da tarde ou do dia.

    E ultimamente, para agraciar esses nossos momentos de relaxamento e diversão, a Netflix tem investido em comédias românticas! Como foi o caso de A Barraca do Beijo (que eu vi e indico pra tais momentos!), que andou dividindo opiniões, mas que serve perfeitamente pra essa categoria “sessão da tarde”. Mas não dava pra parar por ali, certo? E é pensando nisso que hoje nós vamos pegar a mala e ir direto pra uma viagem romântica e divertida. O destino? Isso mesmo: Ibiza, baby!

    (Reprodução via Netflix)

    IBIZA – Tudo pelo DJ é uma comédia romântica produzida pela Netflix, que estreiou dia 25 de Maio no serviço de streaming, e conta com a participação de Gillian Jacobs (de Love, série da Netflix) e, pasmem!, Richard Madden (nosso querido e falecido Robb Stark de Game of Thrones) nos papeis principais.

    Em Ibiza, Harper (Gillian) é uma jovem publicitária que trabalha para uma agência famosa com uma chefe pra lá de chata, mal educada e exigente.  No meio do marasmo, a chefe lhe dá um ultimato: Harper terá que viajar para Barcelona para conseguir novos clientes pra agência como se seu emprego dependesse disso – e de fato depende.

    Super ansiosa e preocupada, Harper não sabe bem o que fazer,  e é aí que entra a ideia de suas duas melhores amigas, pra lá de loucas e atrapalhadas, Nikki e Leah: Transformar a viagem a negócios em uma oportunidade pra curtir. E é meio a contragosto de Harper que as três embarcam com destino direto pra Barcelona. E, bom, aí já podemos imaginar o que rola, né?

    (Reprodução via Netflix)

    Três mulheres jovens tentando se divertir numa cidade afrodisíaca só podia dar em um combo maluco de aventuras sem pé nem cabeça, pegação muita bebida, entorpecentes e o ponto crucial da trama: Uma paixão surpreendente.

    Logo em sua primeira balada em terras estrangeiras, Harper presencia o show do DJ Leo (Richard), e imediatamente se apaixonada pelo cara. Não que seja difícil com o rostinho dele, né? Mas uma situação constrangedora acaba aproximando-a dele quando ele a chama de canto no palco, e a partir disso os dois trocam um momento de química e atração escondida. Mas sem nada rolar ainda!

    Harper e as amigas voltam pro Hotel e começam a maratona de rolês malucos. E é claro que o clichê hollywoodiano ataca, mas, afinal, não estamos buscando grandes divagações pra esse filme, né?! Aqui acompanhamos as meninas se enfiarem em uma confusão atrás da outra, mas mesmo no meio de tantas festas e tanta música eletrônica, a cabecinha de Harper segue no DJ que “conheceu” na primeira noite.

    Que Alok o quê!

    (Reprodução Netflix)

    E aí ela descobre que ele vai tocar em Ibiza, e que talvez pra vê-lo de novo ela precise colocar uma reunião importante na outra manhã em risco. Mas quem é que nunca fez isso, né? Depois do incentivo das amigas malucas, Harper decide viajar pra Ibiza com a promessa de encontrar o DJ (que secretamente tenta encontrá-la também por mensagens de voz) e voltar pra Barcelona de manhã pra fechar negócios com o maior cliente da agência.

    E é aqui, meus amores, que mora toda a ação do filme! Sem maiores spoilers pra melhor parte, só posso dizer: Essa loucura deu muito, muito errado. Porém como se trata de uma comédia romântica… É claro, claro, que valeu a pena (e muito!) no final. Tá esperando o quê?

    IBIZA Tudo pelo DJ tá disponível na Netflix pra vocês correrem dar o play e terminarem de acompanhar o que acontece lá. Não é um filme pra sentar e se perguntar sobre a origem do universo, mas com certeza é um filme que vai te arrancar risos e vai te divertir por uma horinha ou duas, o que é ótimo depois de uma semana agitada, né? Depois me contem o que acharam! Beijinhos e até a próxima. ♥

    postado por Amanda

    Compartilhe com os amigos: 10 comentários

    Leia Também

  • A BARRACA DO BEIJO
  • STRANGER THINGS: SEGUNDA TEMPORADA
  • NOVIDADE NETFLIX: THE END OF THE F***ING WORLD
  • 7 de junho de 2018

    Vocês já se pegaram pensando durante o dia sobre voltar no tempo? Vivenciar situações de quando eram mais novos de uma forma diferente, ou se dar a chance de fazer tudo novamente de um jeito melhor ou que te faça mais feliz… Por maior que seja à vontade, infelizmente não podemos voltar no passado e nem viver de novo, né? Mas o mundo fictício está aí para mostrar que tudo é possível! Só talvez não valha tanto a pena assim…

    Arruma o cobertor, a pipoca e a máquina do tempo e vem comigo rejuvenescer  junto da volta da quinta temporada de Younger!

    Os personagens recorrentes: Charles, Diana, Kelsey, Lauren, Maggie, Liza e Josh

    (Reprodução TV Land)

    Pra quem nunca ouviu falar, Younger é uma série da TV Land que foi lançada em Março de 2015. Sim, faz muito tempo! O que mantém o sucesso da série ao ponto de fazê-la voltar pra uma quinta temporada em 2018? Claramente um enredo incrível e que, assim como nossa querida protagonista Liza, nunca fica velho!

    Younger nos apresenta Liza (interpretada pela carismática Sutton Foster), uma mãe de subúrbio recém-divorciada de 40 anos que está tendo uma dificuldade absurda em voltar ao mercado de trabalho, após 15 anos afastada, e recobrar sua individualidade nesse mundo tecnológico e apressado de hoje em dia. O motivo disso tudo? Ela foi trocada por uma mulher mais nova e o relógio começou a apitar para seu lado…

    Em meio à agonia e dificuldade em voltar à ativa quando tudo parece tarde demais, Liza acaba sendo confundida com uma jovem de 20 por um rapaz (que mais tarde conhecemos beeeem), e a partir disso surge uma ideia maluca: E se ela, de fato, fingisse ser mais nova pra se encaixar no mundo atual até conseguir se estabilizar? O que parecia impossível acabou se provando bem… Real. E é a partir da nova vida de Liza, agora com 26 anos de idade e numa cidade grande, que a série começa a caminhar.

    A “mais nova” Liza

    (Reprodução TV Land)

    E, quatro temporadas depois, o que podemos dizer é que: Fingir ser alguém mais novo certamente não te livra dos problemas acumularem e ficarem mais velhos. Ao decorrer da série acompanhamos a luta de Liza para acompanhar o mundo dos millennials e suas conquistas; desde se tornar assistente da chefe Diana (Miriam Shor) em uma editora de livros gigantesca e famosa até a vida amorosa ao lado de um jovem tatuador Josh (o gato Nico Tortorella) que não fazia ideia de seus segredos. Sem contar sua nova melhor amiga do trabalho Kelsey (a lindinha Hillary Duff) que se torna alguém essencial pra vida de Liza, a amiga antiga Maggie (Debi Mazar) que a auxilia na nova jornada e o chefe da editora Charles Brooks (Peter Hermann), com quem Liza desenvolve uma relação muito especial e sincera.

    O triângulo amoroso que acompanha Liza durante a série

    (Reprodução TV Land)

    Depois de tantas situações e brigas para Liza ir contando aos poucos seu segredo para cada nova pessoa de seu ciclo, chegamos ao recorte atual da vida da personagem: Kelsey sabe da verdade, sua filha sabe, Josh sabe e a relação acaba amigavelmente após inúmeros términos, porém tanto Diana quanto Charles seguem sem saber sobre Liza… O que a complica inteiramente, considerando o clima romântico que passa a acontecer entre ela e Charles.

    Agora imagina ficar nesse chove-não-molha absurdo de ansiedade por desde 2017! Já era de se esperar uma volta bombástica, não? E após confirmações de datas e muita expectativa, Younger voltou oficialmente agorinha, dia 5 de Junho, para encerrar mais um ciclo da vida de Liza e finalmente colocar os pingos nos i’s antes que a bola de neve fique maior.

    Com o formato de um episódio por semana com duração entre 20-25 minutos, Younger promete finalmente sanar as dúvidas e agonias que foram restando ao longo da série, e se só o plot incrível não é capaz de chamar sua atenção… Eu digo mais: Cada look do elenco feminino na série é um arraso atrás do outro! Impossível não se inspirar e querer voltar uns anos atrás também. Mas, ó, se for fazer isso, certifique-se de avisar todo mundo que você ama, ok? Só pra não complicar as coisas por tantas temporadas assim.

    Younger está de volta e você não pode perder essa! Então corre pro seu site de séries favorito e vê o piloto que está CHEÍSSIMO de babados! E aí na semana que vem a gente fala mais um pouco disso, belê? Beijocas. ♥

    postado por Amanda

    Compartilhe com os amigos: 1 comentário

    Leia Também

  • A BARRACA DO BEIJO
  • DARK – A SÉRIE OBSCURA DA NETFLIX
  • ESPECIAL SEXTA-FEIRA 13 E HALLOWEEN + TRAILER NOVO DE STRANGER THINGS
  • 24 de maio de 2018

    Oi, pessoal! O Outono chegou e com ele o friozinho de cada noite… E o que há de melhor para se fazer nessa época do que ficar em casa debaixo das cobertas com uma sopinha? Eu te digo: Ficar debaixo das cobertas com uma sopinha E assistindo séries! Então que tal pegar carona nesse post e voltar a ler um pouquinho sobre recomendações? Só aviso para apertar bem os cintos e se preparar: O que voltou agora, junto comigo, é da pesada!

    Dentro de alguns posts estarei colocando vocês a par das novas temporadas das maiores esperas dos últimos tempos, então se prepara pra essa primeira e vem comigo!

    Banner oficial da segunda temporada.

    (Reprodução HBO)

    Uma das maiores séries da atualidade, competindo nos prêmios com nomes fortes como Black Mirror, Game of Thrones entre outros, Westworld é a queridinha da HBO, que também é o canal responsável por GOT. Digamos que, quando uma não está sendo exibida, a outra surge pra compensar, afinal, é impossível não assistir nenhuma das duas!

    Westworld estreou lá em 2016 com uma temática incrível: Uma espécie de parque temático (como os de Orlando) baseado e simulado no faroeste, no qual as pessoas iam para viver aventuras dessa época em meio aos androides, espécies de robôs criados e constantemente modificados para se adequarem as histórias rolando no parque e interagirem com os “hosts” (os visitantes). Até aí tudo bem, né? É claro que não.

    Sabemos que quando a gente mexe com tecnologia a coisa não dá muito certo… E Westworld veio com a primeira temporada para nos deixar malucos! Em dez episódios semanais (mesma proposta de GOT), nós fomos convidados a explorar o parque temático e conhecermos cada androide, cada host, e cada história que compunha uma caminhada incrível para uma espécie de rebelião de máquinas. E tudo isso com um elenco (e uma equipe) maravilhoso, contando com nomes de calão alto como Anthony Hopkins, Evan Rachel Wood, J. J. Abrams e até o nosso Rodrigo Santoro!

    Parece simples, mas tudo isso rolou em meio a muitas teorias de conspiração e muita gente ficando doidinha tentando entender a linha do tempo dos episódios que se intercalava a toda hora. E é claro que, no final, quando a coisa come solta e todos ficaram com aquele suspiro preso na garganta pra saber o que ia rolar depois… A série, com todo louvor que a HBO traz, foi confirmada pra segunda temporada! E cá está ela de volta.

    (Reprodução HBO)

    A segunda temporada de Westworld voltou oficialmente dia 22 de Abril e seguiu o esquema clássico do canal: Um novo episódio nas noites de domingo. Ou seja, pra deixar todo mundo louco de ansiedade na semana! A transmissão ainda tá rolando, mas pra quem acompanha ou mesmo pra quem quer acompanhar, podemos falar que a série voltou com tudo!

    Acompanhamos agora (ALERTA DE SPOILER) a caminhada dos “robôs” para sobreviver ao mundo fictício onde moram e irem para o mundo real. Principalmente Dolores, uma das personagens mais características e fortes da primeira temporada. Mas como nem só de máquina antiga vive o Velho Oeste… Nós também acompanhamos os humanos que restaram no parque tentando sobreviver, além de termos mais detalhes por detrás da construção do parque, dos motivos de sua existência, e do que diabos acontece nessa série que ninguém sabe dizer! E se não bastasse o plot de tirar o fôlego, essa nova temporada vem permitindo uma olhada mais ampla para o mundo de fora e para a existência de outros parques temáticos como Westworld, mas com histórias e cenários diferentes. Não dá pra perder!

    Se você viu a primeira temporada, sabe que a segunda é um dever pra se assistir! Mas se você ainda não viu e ficou curioso pra saber dessa loucura toda… Se prepare! Você vai ficar confuso e paranoico tentando encaixar todos os detalhes, mas vai valer a pena. E se não valer… É só fazer o João sem braço, olhar pra série e dizer: It doesn’t look like anything to me. Mas pra saber o que é isso, acho melhor assistir, hein?

    Beijinhos e até o próximo post! 😉

    postado por Amanda

    Compartilhe com os amigos: 10 comentários

    Leia Também

  • CINEMINHA: LIGA DA JUSTIÇA
  • Defensores
  • O MUNDO FABULOSO DE QUEER EYE
  • 20 de abril de 2018

    Quem é que não adora aventuras, não é? Uma série de coisas acontecendo e levando os personagens principais atrás de coisas novas, colocando-os em desafios malucos para no final tudo acabar bem… Eu adoro! Então gostaria de avisar que se você também adora assistir algo cheio de perrengues que termina feliz no fim, pode pegar suas coisas e fechar essa guia, pois o post de hoje vai falar de uma série, sim… Mas de eventos trágicos e desventuras sobre três pobres órfãos. Continue por conta e risco! Ou então… Look away.

    Sacou do que vamos falar hoje?

    Sim? Boa!

    Se não, prepare-se e segue aqui comigo!

    (Reprodução Netflix)

    A Series of Unfortunate Events (PT: Desventuras em Série) é uma série original da Netflix baseada nos livros do autor Lemony Snicket, que conta as desventuras dos irmãos Baudelaire (Violet, Klaus e Sunny) após terem sua casa incendiada e seus pais mortos no incêndio. Como três órfãos de uma família rica, toda a herança ficou em seus nomes e só poderá ser usada quando Violet, a irmã mais velha, chegar na maioridade. Até então, toda a fortuna fica trancada no banco e os irmãos seguem a única missão que lhes restou: Começam sua inesgotável corrida atrás de guardiões que possam cuidar deles agora que não possuem uma família. E é nessa corrida que as desgraças começam a piorar e só piorar para a vida dos Baudelaire.

    As coisas até aqui parecem assustadoras e familiares?! Talvez seja porque A Series of Unfortunate Events é um título muito conhecido do público! Seja pra quem leu os livros quando criança ou pra quem assistiu o inesquecível filme de sessão da tarde com nosso amado Jim Carrey, que passou lá em 2004!

    A primeira versão que foi para a telinha!

    Na ordem: Violet (Emily Browning), Conde Olaf (Jim Carrey) e Klaus (Liam Aiken)

    Lembrou? É bem por aí! Mas para diferenciar, a série da Netflix surgiu em janeiro de 2017, com o também famosíssimo ator Neil Patrick Harris no papel do terrível vilão Conde Olaf, o ator em decadência que assombra a vida dos órfãos em diversas fases e disfarces atrás da fortuna em seus nomes!

    A proposta da Netflix não foi muito diferente do filme: queriam juntar toda a série de livros em uma série de TV que mostrasse o terrível e emocionante caminho dos Baudelaire atrás da felicidade. Pra quem leu o livro, pode-se dizer que a série ficou impecável! Os detalhes foram muito fiéis, as peculiaridades de cada órfão foram super bem retratadas, o ritmo foi agonizante, mas viciante, e a existência do personagem do próprio autor andando pela série e funcionado como um personagem extra que só fala com a telinha, ou seja, com quem assiste, deixou tudo com sabor de aventura mesmo, como se fizéssemos parte daquela história!

    E foi essa receita de sucesso que garantiu o estouro da série na grade e público, e reservou também a sua segunda temporada, que chegou agorinha na rede em Março de 2018! Então bora lá?

    Os irmãos na segunda temporada.

    (Reprodução Netflix)

    Durante a primeira temporada, nós caminhamos com os Baudelaire desde o momento trágico de sua vida em que tudo começou a dar errado: O incêndio de sua casa e morte de seus pais. A partir de então, a primeira temporada nos colocou na estrada com os três irmãos em busca de guardiões.  E como a série não exatamente leva a palavra “felicidade” no nome… Podemos dizer que a busca foi bem, bem infortuna. Acompanhamos caso atrás de caso dar errado por intervenção do Conde Olaf, sempre disfarçado e reconhecido pelas crianças, mas nunca pelos adultos ao redor, o que confere uma angústia terrível pra eles e pra gente que assiste!

    No meio disso tudo, acabamos também descobrindo algumas pistas sobre a morte dos pais dos Baudelaire… Como o fato do incêndio não ter sido desproposital, mas sim criminoso! E também de que os pais deles não eram pais comuns… Mas parte de uma organização secreta da qual os filhos nunca ouviram falar. Curioso, não?

    Pensando nesses ganchos, a segunda temporada veio para mostrar a continuação dos eventos na vida dos órfãos, aproveitando das questões não respondidas sobre seus pais e a busca por guardiões. A diferença é que nessa temporada nós descobrimos muito mais sobre eles, assim como também somos apresentados a outros órfãos na mesma situação. Isso mesmo, na segunda temporada os Baudelaire finalmente fazem amigos que entendem, literalmente, o que eles estão passando!

    E como era de se esperar… Os infortúnios seguem assim como a presença constante do Conde e sua trupe, mais malaados do que nunca! Mas se podemos ter uma pontinha de esperança, mesmo que mínima, é de que pelo menos dessa vez mais membros da organização secreta (guardem essas iniciais: V.F.D.) estarão na cola dos vilões pra ajudar os Baudelaires em sua árdua jornada!

    Conde Olaf e os membros de sua gangue maligna.

    (Reprodução Netflix)

    Então que fique avisado: Se você deseja embarcar nessa desventura… Prepare-se para muita ansiedade, cenas fortes e muita coisa boa escapando de acontecer por um triz! Mas também, e acima de tudo, um roteiro incrível que conseguiu adaptar perfeitamente o que foi um clássico na infância de muita gente, sempre colocando uma dezena de detalhes especiais escondidos nas cenas. Tem como perder essa? Eu acho que não!

    As temporadas de A Series of Unfortunate Events estão todinhas disponíveis na Netflix, aproveita o feriado e embarca nessa – mas por sua conta e risco. Beijinhos e até a próxima. ♥

    postado por Amanda

    Compartilhe com os amigos: 5 comentários

    Leia Também

  • FILMES ORIGINAIS NETFLIX: A BABÁ
  • NOVIDADE NETFLIX: THE END OF THE F***ING WORLD
  • Santa Clarita está de dieta… De novo!
  • 1 2 3 5